AEMS 2021

Comitê de Saúde explana estratégia de vacinação contra a Covid-19 na Capital

Facebook Twitter

TJMS

Comitê de Saúde explana estratégia de vacinação contra a Covid-19 na Capital


Foi realizada na tarde desta quinta-feira (18) uma reunião extraordinária, por videoconferência, do Comitê Estadual do Fórum do Judiciário para a Saúde, coordenado pelo Des. Nélio Stábile. O tema do encontro foi a programação e estratégia de vacinação contra a Covid-19 da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

A reunião extraordinária foi aberta pelo Des. Stábile, que passou a palavra ao Secretário Municipal de Saúde, José Mauro Filho, o qual trouxe uma apresentação detalhada sobre o cenário epidemiológico atual da situação da pandemia na Capital. O secretário recordou que, ao longo do último ano, “enfrentamos vários gargalos difíceis, como superlotação nos hospitais e picos de contágio e óbitos e, neste momento, estamos enfrentando outro gargalo: o da vacinação”.

O secretário citou que Campo Grande conta com 1,5 milhão de cartões SUS e não há previsibilidade precisa da chegada de doses, nem o quantitativo e de quais marcas, o que dificulta o trabalho de planejamento da imunização.

Sobre os dados estaduais, até quarta-feira (17), Mato Grosso do Sul registrou 172 mil casos confirmados, sendo 71.986 em Campo Grande com 1.400 óbitos, dos quais 929 mortes ocorreram em leitos públicos; 452 em hospitais particulares e outros 19 óbitos foram registrados em domicílio.

Mauro Filho também mostrou a evolução da doença na Capital por semana epidemiológica e o perfil dos óbitos, com 46,1% do sexo feminino e 53,9% do sexo masculino. Com relação à faixa etária, o maior percentual de mortes (78,4%) é de pessoas acima de 60 anos de idade.

O Secretário também trouxe um breve relato sobre as novas variantes do vírus, dos gráficos de atendimento em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Centros Regionais de Saúde (CRS) num comparativo do ano de 2019 com 2020, em que um novo modelo de gestão contribuiu para a redução dos atendimentos nestes locais. Com relação à taxa de ocupação dos hospitais, o total geral (leitos públicos e particulares) está em 80%.

Após o panorama dos dados estatísticos da pandemia, o secretário explanou a expectativa de disponibilidade geral de vacinas informada pelo Governo Federal, destacando que os dados não discriminam por unidade da federação, muito menos por município. Das duas vacinas regulamentadas, a previsão é de que até dezembro sejam adquiridas pelo Governo Federal cerca de 350 milhões de doses, podendo chegar a 450 milhões, se computadas as vacinas de outros laboratórios que ainda não estão aprovadas e/ou aptas para comercialização.

Embora a incerteza com relação ao quantitativo que será destinado ao MS e à Capital do Estado,  sobre o Plano Municipal de Vacinação Contra a Covid-19, o secretário de saúde aponta que, para evitar um novo pico da doença no inverno, o intuito é de que o grupo de idosos acima de 60 anos, começando pelas faixas etárias mais avançadas, seja imunizada até maio.

Sobre o primeiro lote recebido pelo Ministério da Saúde, foram 26.806 doses, voltadas para os profissionais de saúde e idosos institucionalizados. No segundo envio, foram recebidas 9.340 doses, as quais são voltadas para a continuação dos profissionais de saúde e ainda, no terceiro envio, foram recebidas 3.590 doses destinadas à vacinação de idosos na faixa etária de 80 anos, que teve início no dia 1ª de fevereiro.

Desse modo, considerando o número de doses, a SESAU criou um cronograma de vacinação, sendo que o novo calendário, de 14 a 27 de fevereiro, estabelece os dias da semana e as idades dos idosos que devem ser contemplados com as doses. Para dar continuidade a este calendário de idosos, a SESAU recebeu, no quarto lote, 11.600 novas doses.

Na explanação, o secretário falou ainda da implantação do Drive-Thru de vacinação e do site vacina.campogrande.ms.gov.br, que traz os detalhes de cada pessoa beneficiada com as doses, cujo cadastramento pode ser feito diretamente pela população.

Aliás, o secretário citou a importância das pessoas que tem familiaridade com a internet, ou dos filhos dos idosos contemplados, para que preencham esse cadastro, o que auxiliará a Secretaria de Saúde a "enxergar" a população da Capital, o que pode levar a uma melhor avaliação para a tomada de decisões, sobretudo com a população que sofre de doenças como diabetes, pressão arterial, acamados, gestantes, etc.

Além disso, o pré-cadastro online evita filas no drive-thru, por exemplo, pois cada pessoa vacinada é identificada nesse sistema que, com a colaboração da população também alimentando os dados, trará indicadores importantes sobre a vacinação e a doença.

O sistema, aliás, foi elogiado pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, que parabenizou pela "impressionante ferramenta de gestão" e se mostrou encantado com a capacidade de monitoração e gerenciamento da população pela SESAU. As palavras do magistrado foram corroboradas pelo Des. Nélio Stábile, que ressaltou que o sistema de vacinação já vigente hoje pela Secretaria Municipal de Saúde demonstra um controle muito eficiente da população e das doses administradas em cada cidadão.

A promotora de justiça Filomena Fluminham trouxe ainda uma observação com relação às denúncias de "fura filas", destacando que há um desconhecimento da população sobre alguns públicos alvos, como os profissionais de limpeza que trabalham nas UTIs, por exemplo, ou então daqueles profissionais de saúde que não atuam no setor Covid dentro dos hospitais, mas cumprem jornada de trabalho nas Unidades Básicas de Saúde. Ou seja, são profissionais que, para muitos, não deveriam receber as doses iniciais, mas eles, de fato, fazem jus.

A próxima reunião ordinária do Comitê Estadual de Saúde está programada para o dia 26 de março.

Estavam na reunião, por videoconferência, a juíza Denize de Barros Dodero, diretora do Foro de Campo Grande; juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos; Daniele de Souza Osório (DPU); Eliasze Guimarães Jr. (Sesau); Felipe Potrich (TRF 3ª Região); promotora de justiça Filomena Fluminham (MPE); Glória Galbiati (Defensoria Pública); Heitor Miranda (Sesau); José Mauro Pinto de Castro Filho, Secretário Municipal de Saúde; Kaoye Guazina Oshiro (Procurador do Estado); Pedro Paulo Grubits (Procurador Federal); juiz Ricardo Galbiati, da 2ª e 3ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos; juíza Sandra Artioli, diretora do Cijus; Viviani Moro, (Procuradoria-Geral do Município); Fabrício Braga (Anvisa); Vânia Duarte (Supris) e Hugo Valle (Sesau).
AEMS

Compartilhe e faça seu comentário