Prefeitura de Selvíria campanha de Março 2020

Sobe para 18 o total de pessoas que estiveram com Bolsonaro nos EUA e têm coronavírus

Facebook Twitter

g1

Sobe para 18 o total de pessoas que estiveram com Bolsonaro nos EUA e têm coronavírus

Chegou a 18 nesta quinta-feira (19) o número de pessoas que participaram da viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos na semana passada e agora estão com o coronavírus.

O caso mais recente é do presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Sergio Segovia. Ele confirmou à GloboNews nesta quinta que está com a Covid-19 e disse que não tem sintomas da doença. A quarentena será cumprida em casa, afirmou.

Segovia participou da viagem a Miami mas, segundo informações divulgadas pelo Palácio do Planalto no início do mês, não embarcou na aeronave presidencial na viagem de ida.

À GloboNews, o presidente da Apex disse que chegou a receber um resultado negativo para o coronavírus na semana passada. A infecção só foi descoberta no segundo exame, revelado nesta quinta.

Bolsonaro comentou o diagnóstico de Segovia durante uma transmissão em rede social.

"Acabei de ter a informação do Segovia, que deu positivo para o coronavírus. Perguntei se ele estava sentindo alguma coisa. Não está sentindo nada. Perguntei ao General Heleno, que está no quarto dia de quarentena. E aí general? Nada. Disse que fez 50 minutos de bicicleta. O almirante Bento também, nada. Disse que está com vontade de trabalhar. Então, essas pessoas não saberiam se não fizesse o teste. Outros pessoas ficam em estado grave", declarou.

Segovia, outras autoridades e o próprio presidente Jair Bolsonaro fizeram dois testes para identificar o novo coronavírus depois da confirmação de que o secretário de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten, está com o vírus.

Os 18 contaminados que integraram ou tiveram contato com a comitiva de Bolsonaro nos EUA são os seguintes:

  • Sergio Segovia, presidente da Apex
  • Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia
  • Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional
  • Daniel Freitas, deputado federal
  • Flavio Roscoe, presidente da Federação das Indústria do Estado de Minas Gerais (Fiemg)
  • Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
  • Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência da República
  • Nelsinho Trad (PSD-MS), senador
  • Nestor Forster, encarregado de negócios do Brasil nos Estados Unidos
  • Samy Liberman, secretário Especial Adjunto de Comunicação Social da Presidência
  • Francis Suarez, prefeito de Miami
  • Sérgio Lima, publicitário que trabalha com a família Bolsonaro na criação do partido Aliança pelo Brasil
  • Karina Kufa, advogada de Jair Bolsonaro
  • quatro integrantes da equipe de apoio da comitiva

Bolsonaro sem vírus
O teste de Jair Bolsonaro deu negativo, mas o Ministério da Saúde recomendou que o exame seja refeito na próxima semana. Enquanto isso, a recomendação é para que Bolsonaro siga em "monitoramento".

Neste domingo, Bolsonaro quebrou a recomendação de cautela e participou de um ato a favor do governo e com críticas ao Judiciário e ao Legislativo. Ele chegou a apertar a mão de apoiadores em frente ao Palácio do Planalto.

No dia 12 de março, após o anúncio do diagnóstico positivo de Wajngarten, outras autoridades que também viajaram no avião presidencial ou se encontraram com a comitiva nos EUA deram início a uma rodada de testes.

A maior parte teve resultados negativos. Estão nesta lista o presidente Jair Bolsonaro, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), e os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Ernesto Araújo (Relações Internacionais).


Aline Moura
AEMS

Compartilhe e faça seu comentário