Prefeitura de Selvíria - Agosto

Com apoio da Suzano, apicultores superam média nacional com produção de 117 toneladas de mel em Mato Grosso do Sul

Facebook Twitter

Divulgação

Com apoio da Suzano, apicultores superam média nacional com produção de 117 toneladas de mel em Mato Grosso do Sul

Programa Colmeias oferece assistência técnica a 150 apicultores de Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Água Clara

 

Os 150 apicultores participantes do Programa Colmeias em Mato Grosso do Sul, apoiados pela Suzano, tiveram uma produção de 117 toneladas de mel na safra 2018/2019, com 34,65 kg por colmeia, 65 % acima da média nacional (21 kg). O volume representa 14% do mel produzido no estado.
 
“A safra mais recente teve um saldo positivo. Apesar das condições climáticas não terem sido tão favoráveis, as perspectivas para a nova safra são boas. Com a capacitação constante, acompanhamento técnico em gestão, produção e comercialização, oferecido pelo Colmeias, os apicultores conseguiram melhorar os processos produtivos, obtendo mais renda”, afirma Evânia Lopes, consultora de Desenvolvimento Social da Suzano em Mato Grosso do Sul.
 
O Colmeias tem o objetivo de fortalecer a apicultura e fomentar o desenvolvimento da cadeia, ampliando a rede de clientes e a capacidade de gestão das associações. Realizado desde 2009 em Mato Grosso do Sul, o programa beneficia atualmente apicultores de cinco associações que residem nas cidades de Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Água Clara.
 
A conquista mais recente do programa para a região será a inauguração da sala de extração de mel em Água Clara, prevista para setembro. Ela terá uma estrutura semelhante à de Selvíria - inaugurada no ano passado - com equipamentos para o processamento de mel como centrífuga automatizada, tanques para decantação, mesa desoperculadora (para remoção ou abertura da película de cera dos alvéolos de mel), caixas de abelhas. O EPI (Equipamentos de Proteção Individual) como macacão, bota de borracha e fumigador (que gera fumaça como medida de segurança no manejo), é contrapartida do apicultor.
 
Os equipamentos foram adquiridos por meio de recursos vindos durante a construção da segunda fábrica da Suzano em Três Lagoas (MS), e de linha de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).
 
Além do apoio financeiro e capacitação para que as associações possam buscar recursos junto a programas de incentivo à produção rural, a Suzano disponibiliza cerca de 80 mil hectares de sua área de plantio de eucalipto para pasto apícola e oferece acompanhamento constante, por meio de reuniões mensais com as associações e parcerias com instituições para a realização de capacitações.
 
“O apoio da Suzano foi fundamental para o nosso crescimento. Desde 2015, quando recebemos as primeiras caixas para abelhas, aumentamos em 80% a produção. A montagem da sala de extração foi a melhor coisa que aconteceu. Hoje temos um local com alto padrão de higiene e segurança. Está perfeito”, afirma Rosana Claudia Magri da Cruz, tesoureira da AAPISEL (Associação dos Apicultores de Selvíria).
 
Os apicultores da associação participam desde o início do mês de um curso de gestão e assistência técnica para manejo das colmeias com técnicos do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizado Industrial). A atividade terá duração de dois anos. Segundo Rosana, o próximo passo é obter o selo SIM (Serviço de Inspeção Municipal), que possibilitará a expansão das vendas, inclusive para a prefeitura, por meio de compras públicas para a merenda escolar. “Com isso, esperamos chegar à capacidade máxima de produção. Estamos otimistas com a nova florada”, avalia.
 
AEMS
Plenitude WebTv

Compartilhe e faça seu comentário