Sem acessibilidade, cadeirante precisa de ajuda de bombeiro para votar

Facebook Twitter

Izabela Sanchez

Sem acessibilidade, cadeirante precisa de ajuda de bombeiro para votar

Bombeiros ajudam cadeirante a descer escadas para votar no piso inferior. A escola não tem rampa

A procuradora de Justiça Sara Francisco Silva foi carregada por dois militares do Corpo de Bombeiros para conseguir votar na tarde deste domingo (7), na Escola municipal Professor Alcídio Pimentel localizada na Rua Brilhante, na Vila Carvalho, em Campo Grande.

A cadeirante tinha que descer uma escada para chegar até à sala onde vota, que fica embaixo - no andar inferior. Sem rampa de acesso, foi preciso acionar o Corpo de Bombeiros. Ela relata que todo ano precisa de ajuda.“Fiz o pedido para mudar a minha seção eleitoral durante a biometria, mas sem sucesso”, lamenta.

Dois militares tiveram que levantar a cadeira de rodas e descer as escadas. Sara votou e foi carregada novamente de volta até o piso de cima. Neste domingo, o Corpo de Bombeiros foi acionado três vezes para auxiliar cadeirantes a votar em escolas sem acessibilidade.
Mais cedo, o aposentado José Enio Martinez, 80 anos, foi embora da Escola Alcídio Pimentel sem votar. Também houve registro de situação semelhante na Escola Municipal Professor Danda Nunes, na Rua Caliandra.
Nico Cabeleireiro

Compartilhe e faça seu comentário