Com frio, venda de legumes para a sopa salvam dia na feira de orgânicos

Facebook Twitter

(Foto: Saul Schramm)

Com frio, venda de legumes para a sopa salvam dia na feira de orgânicos

Clientes fazendo compras na feira de orgânicos nesta quarta

O frio pode até reduzir o movimento, mas não tira o ânimo dos comerciantes da feira de produtos orgânicos que funciona há oito anos na Praça do Rádio Clube, em Campo Grande. Nos dias de baixas temperaturas, a procura pelas verduras cai e o que salva as vendas são os legumes, principalmente os que são usados na sopa.

“As folhas não queimam com o frio, desde que não tenha geada. Essa época de baixas temperaturas bate com a safra das folhagens. Aumenta a oferta, reduz a procura e o preço fica menor”, explica o feirante Vanderlei Azambuja, 48 anos.

Para Argemiro Oliveira, 61 anos, essa queda no movimento notada em dias frios não é significativa. “Somente o pessoal que acorda bem cedo para ir comprar que muitas vezes deixa de ir”, afirma. Contudo, ele concorda que a venda das verduras cai nessa época.

Clientes – A auxiliar de escritório Viviane Rigoni, 45 anos, diz ter a impressão que nos dias de baixas temperaturas o tamanho dos vegetais diminui. “A couve, que sempre é uma folha grande, está bem pequenininha”, afirma.

Ela também sente um leve aumento nos preços de alguns itens. “Minha mãe foi comprar quiabo e o feirante disse que como está difícil de achá-lo nessa época, diminuiu o tamanho da bacia”, afirma.

Virmondes Faria Alves, 60 anos, não mora em Campo Grande, mas frequentemente vem à cidade visitar o filho e todas as vezes passa pela feira de orgânicos. “Não percebo diferença na alimentação da minha família durante o frio. Comemos folhas do mesmo jeito e os legumes são inseridos da mesma forma no cardápio. Primeiro a gente come um prato de salada e depois os demais alimentos”, relata.

Tradicional - Organizada pela Prefeitura de Campo Grande, a feira é referência para quem busca alimentos sem agrotóxicos. Além disso, os produtos são cultivados e vendidos pelos pequenos produtores da região.

Essa característica faz toda a diferença. Quando esse tipo de alimento é vendido nos supermercados, acaba sendo em média 30% mais caros. Na venda direta, acontece justamente o contrário: sem intermediários os produtos ficam mais baratos.

O local funciona todas as quartas-feiras das 5h às 9h na Praça do Rádio Clube, no Centro.
Nico Cabeleireiro
PMTL - CIDADE EM OBRAS 09 a 31/07

Compartilhe e faça seu comentário