PMTL 440 dias

Audiência termina com propostas para minimizar impacto das privatizações

Facebook Twitter

Foto: Wagner Guimarães / ALMS

Audiência termina com propostas para minimizar impacto das privatizações

Audiência pública sobre “Privatizações de Serviços Públicos Essenciais Propostas pelos Governos Estadual e Federal”, realizada na tarde de hoje na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, terminou com a elaboração de diversas propostas que devem ser colocadas em prática nas próximas semanas.

Participaram do debate diretores sindicais dos Correios, bancos públicos, MS Gás e da Indústria de Energia do Estado.

Entre as propostas, estão a criação do cômite estadual permanente contra a privatização, para reforçar o já existente coômite nacional; entrega de documento aos deputados federais e senadores, ressaltando a importância de autonomia do estado brasileiro em manter as empresas públicas; solicitação de uma comissão na Assembleia Legislativa para acompanhar a possível privatização da MSGás; encaminhamento à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de documento solicitando nova audiência pública no Estado para discutir a privatização da Usina de Porto Primavera, em São Paulo, e que afetará Mato Grosso do Sul, e ampliação das audiências públicas dos bancários.

Segundo o deputado Pedro Kemp (PT), propositor da audiência, as consequências imediatas da as privatizações são o encarecimento das tarifas pegas pelos contribuintes.

“A audiência pública foi muito positiva, pois tivemos a contribuição de vários representantes de sindicatos do setor elétrico, dos bancários, das águas, Correios e da MSGás. Essas participações foram importantes, porque além de relatar a situação das empresas, também falaram da importância dos serviços públicos prestados no país e do impacto das privatizações para a população. O debate qualificado com este rende propostas que iremos encaminhar à Casa”, avaliou o deputado Pedro Kemp (PT), propositor da audiência.
Nico Cabeleireiro
CMTL - PI 1106-2018 - Abril

Compartilhe e faça seu comentário