PMTL - QUEIMADAS - 07/05 a 19/05

Técnicos de MS participam de encontro que discute riscos do uso de balanças falsificadas

Facebook Twitter

Divulgação

Técnicos de MS participam de encontro que discute riscos do uso de balanças falsificadas

O diretor-presidente da AEM/MS (Agência Estadual de Metrologia de Mato Grosso do Sul), e o agente metrológico Marcos Pereira, participaram em São Paulo (SP), nesta quarta-feira (7), no Encontro Nacional sobre Balanças Falsificadas e suas consequências para a Indústria Nacional. A AEMS/MS é o órgão delegado ao Inmetro no Estado e vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

O evento aconteceu no auditório “Antonio Cortazzo” do IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), e contou com a presença do secretário adjunto da Justiça e da Defesa da Cidadania, Luiz Souto Madureira, representantes da Receita Federal, Ministério Público, Fundação Procon, fabricantes e integrantes da Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade do Inmetro (RBMLQ-I).

O objetivo do evento foi discutir maneiras para evitar as importações de balanças falsas no país, que tem causado impacto negativo nos fabricantes brasileiros de balanças, prejudicando o consumidor e a economia do Brasil.

A primeira palestra foi realizada por Paulo Eric Haegler, presidente da Toledo do Brasil, uma das maiores fabricantes de balanças do Brasil, que apresentou como está atualmente o mercado brasileiro de balanças computadoras, destacando aquelas sem impressora acoplada; como a presença destas balanças sem aprovação pelo Inmetro está afetando os consumidores, fabricantes legalizados, comerciantes e governo; e como a presença criminosa de balanças falsificadas está afetando o mercado.
Zenon Leite Neto do Sindicato da Indústria de Balanças, Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Sibapem), detalhou as perdas para a sociedade da venda de balanças irregulares, o prejuízo para a sociedade e sugeriu possíveis ações necessárias para coibir a prática ilegal.

Falsificação

O uso de balança falsificada pode causar sérios aborrecimentos ao comerciante, alerta o diretor presidente da AEM/MS, Nilton Rodrigues. As sanções vão desde multa até a apreensão do instrumento pela falta de aprovação de modelo, pelo peso incorreto e por eventuais riscos de acidentes pelo fato da balança não atender a outras normas de segurança.

Basicamente, o item que mais evidencia a falsificação são as quatro teclas de memória presentes próximo ao visor do instrumento e que não existem em balanças aprovadas pelo Inmetro.

Orientação

A Agência Estadual de Metrologia e o Inmetro orientam que os comerciantes não comprem produtos em sites ou locais não confiáveis, que desconfiem do preço muito abaixo de mercado e que busquem informações sobre o produto, pois cada um possui uma “Portaria de Aprovação para Instrumento” publicada pelo Inmetro, acessível no site do órgão.

• Pesquise bastante e dê preferência pela compra em empresas autorizadas pelo Inmetro.
• Em caso de compra pela internet, veja se a fabricante possui algum e-commerce próprio, caso não, dê preferência por sites especializados.
• Exija nota fiscal de compra e certificado de garantia.
• Verifique se o equipamento possui lacre e etiqueta do INMETRO, etiqueta de verificação inicial, placa de identificação e se os dados da placa de identificação correspondem com a nota fiscal.
• Verifique as etiquetas utilizadas pelo Inmetro:

Denúncia

Em caso de dúvidas ou suspeita de irregularidades, o comerciante ou o consumidor pode denunciar à Agência Estadual de Metrologia na ouvidoria pelo 0800 67 5220 (preferencialmente) ou [email protected] e ainda no INMETRO através do telefone 0800 285 1818.

A ligação é gratuita e todas as denúncias são apuradas.
Nico Cabeleireiro
CMTL - Mais Melhorias - 07/05 até 21/05

Compartilhe e faça seu comentário